Como montar uma horta

 

A vida na cidade trás suas comodidades, mas não é raro encontrarmos pessoas que tem gosto pela natureza e pelo rural em meio aos prédios, poluição e estresse. O plantio de hortaliças, seja no quintal de casa, terrenos baldios, sacadas, ou nas lajes vegetalizadas, vai de encontro com a demanda por alimentos seguros e espaços de recreação para os  habitantes dos ambientes urbanos e tem impulsionado a chamada agricultura urbana. Nos encantamos com a idéia de produzir belos tomates, verduras fresquinhas ou podermos colher temperos para o dia-a-dia, mas normalmente não é isso que acontece, são mudinhas que não crescem, ou alguma praga atacando nossas verduras, ou doenças que acabam por matar ou deixar as plantas feias.

Alguns chamam o sucesso de uma horta doméstica como “ter mãos boas”, mas na verdade trata-se da sensibilidade de cada um, ao observar os sinais que a terra e as planta nos dão, e tomar as medidas necessárias, sendo desenvolvida durante o contato com a agricultura. Graças à ciência e a técnica, é possível orientar os iniciantes dessa prática, a partir de pequenas dicas e conhecimentos básicos. São cuidados e detalhes que devem ser observados, como o local de plantio, o tipo de solo, o preparo dos canteiros, as regas, a escolha das espécies e quando plantar cada uma, além de outras questões.

Quando você for começar a sua horta, atente ao clima da sua região. A incidência de chuvas influenciará diretamente na frequência de regas da sua horta, e as temperaturas poderão permitir ou não o cultivo de certas espécies. Se nos focarmos apenas na sua área, a luminosidade do local onde você implantará a sua horta deverá ser levada em conta. A grande maioria das hortaliças são plantas de sol pleno. Precisam de pelo menos 4h de sol direto por dia para um crescimento satisfatório. Para notar se falta sol para as suas hortaliças basta observar se as mesmas estão com tom verde muito claro, aspecto frágil, estiolamento, baixa resistência à doenças ou apresentam mudanças no sabor, ficando sem gosto.

Além da luz do sol, o solo deve ser observado. Quando o cultivo é em vasos ou outros recipientes, é mais fácil controlar essa variável, pois podemos comprar substratos já preparados para cultivo de hortaliças, porém no quintal de casa ou em terrenos baldios, são necessárias adubações e calagem para corrigir a fertilidade.

No caso de quintais, é comum que os solos sejam pobres em nutrientes e em matéria orgânica, por causa da origem da terra usada para aterros. Podem ser usadas adubações minerais ou adubações orgânicas. As adubações minerais são mais concentradas, e geralmente oferecem os nutrientes que as plantas precisam em maior quantidade, como Nitrogênio, Fósforo e Potássio; enquanto que a adubação orgânica oferta uma gama maior de nutrientes em baixas concentrações, sendo necessários grandes volumes de composto ou esterco. A disponibilização dos nutrientes será maior e mais rápida quando usada adubação mineral, mas a adição de matéria orgânica em solos que estão sendo preparados para o cultivo de hortaliças é essencial, pois além de fonte de nutrientes, a matéria orgânica ajuda na estruturação do solo e estimula a vida de organismos benéficos, principalmente em áreas aterradas. Aconselha-se o uso dos dois tipos de adubação, de modo que um complemente o outro.

A textura do solo do local de plantio tem relação direta com a drenagem do solo. Solos argilosos geralmente retêm mais umidade que solos arenosos e isso dirá muito sobre a frequência de regas e a altura dos canteiros. Em solos argilosos, as regas podem ser mais espaçadas, mas em climas muito chuvosos será necessário que os canteiros sejam mais altos, para evitar encharcamentos. Em solos arenosos, as regas serão mais constantes, exceto em solos com muita matéria orgânica ou climas muito chuvosos. Os canteiros neste tipo de solo podem ser mais baixos, pois podem secar mais facilmente.

Para fazer a sua horta, você deve observar o tamanho desejado. Note que você precisará cuidar da sua horta, regá-la, e arrancar plantas daninhas, sem contar que muitas vezes será necessário ficar agachado, então seja realista, decida quanto tempo você poderá dedicar à essa atividade e projete o seu canteiro.

Para montar um bom canteiro no solo é necessário que você revolva o solo, desmanchando os torrões com o auxílio de ferramentas como enxada e ancinho. O revolvimento do solo, garantirá um solo “fofo” para o desenvolvimento das hortaliças. Solos muito “duros” ou com torrões muito grandes, podem atrapalhar o desenvolvimento das raízes, principalmente quando pensamos na produção de tubérculos e raízes, como batatas e cenouras. Mas em compensação há espécies que não sofrem tanto com este quesito, como é o caso da beterraba. Durante o preparo do canteiro é interessante a incorporação dos adubos, sejam eles orgânicos ou minerais. Você deve fazer a calagem da área com dias de antecedência ( 20-30 dias), para que o calcário auxilie na liberação dos nutrientes contidos no solo, e não atrapalhe na liberação do adubo que será aplicado.

O ato de revolver e destorroar o solo, estimula a germinação das sementes de plantas daninhas que estão presentes no solo, então será necessário que você faça o controle das mesmas, seja manualmente, arrancando-as; ou por controle químico, sendo necessário a consulta à um especialista. Você também pode fazer uso de alguma cobertura morta para diminuir o crescimento de plantas daninhas, como folhas secas facilmente obtidas em jardins, simplesmente colocando-as nos espaços entre as mudas plantadas. O uso deste tipo de cobertura “abafa” o crescimento das plantas daninhas, reduzindo o número delas no canteiro e auxilia na retenção de água no solo, uma vez que a cobertura protege o solo contra os raios solares, e impede a evaporação da água do solo.  

Geralmente, as hortaliças folhosas se desenvolvem melhor nas épocas com o tempo mais ameno, pois normalmente possuem folhas mais delicadas.O calor excessivo tende a retardar o crescimento destas plantas e os raios solares podem queimar as folhas em alguns casos, sem contar que durante o outono e inverno, a incidência de chuvas fortes é menor, não havendo danos nem pelo impacto das gotas e nem pelo encharcamento do solo. Nos meses de primavera-verão, podem ser plantadas outras espécies como vagem, abóboras, beterraba, milho verde e pipoca, pimentão etc, mas normalmente durante o mês de janeiro, a sua horta ficará menos vistosa. Para ir mais além, estão disponíveis na internet calendários de cultivo das principais hortaliças, mas note que estes calendários nem sempre são adaptados para a sua região, desse modo nada é melhor que a tentativa e erro e a troca de experiências com outros praticantes da agricultura urbana, ou profissionais da área.

Remarque que hoje em dia existem diversas cultivares de hortaliças, que se adaptam às mais diversas condições climáticas, como por exemplo as alfaces e couves, e que permitem produzir durante a maior parte do ano, então atente na hora de escolher as suas mudas e sementes e se possível peça ajuda na hora da compra.

O espaçamento entre plantas costuma ser uma incógnita para a maioria dos praticantes da agricultura urbana. Como no caso dos calendários de plantio, o espaçamento entre plantas pode variar em cada situação, mas podemos fazer alguns apanhados. Para folhosas como alface, acelga  e chicória, a distância entre plantas nas linhas e nas fileiras varia entre 0,25 e 0,40m, dependendo do tamanho da planta (ex.: alface de cabeça ocupa menos espaço que alface de folha) ou sua arquitetura, seja pelo crescimento ereto das folhas, como no caso da acelga, ou pelo padrão de crescimento em altura ou em diâmetro. Para espécies que produzem raízes e tubérculos, como cenoura, beterraba e rabanete, o espaçamento pode ser um pouco menor, por se tratar de plantas menores e o produto desejado não ser as folhas. Para estas plantas indica-se 0,20-0,25m nas entrelinhas e 0,05-0,10m na linha. Espaçamentos de 1m na entrelinha e de 0,50-0,70m na linha podem ser utilizados para plantas de maior porte, que precisam de mais luz solar e mais nutrientes, como por exemplo, tomate, berinjela, pimenta, pimentão, vagem, quiabo, entre outras. Para as brássicas (couve, couve-flor, repolho, brócolis e etc), recomenda-se espaçamentos entre 0,80-0,90m nas entrelinhas e 0,40-0,50m, variando também com o porte da planta. Estas plantas geralmente precisam de muita luz solar, e são exigentes quanto à oferta de nutrientes, sendo necessário manter um espaçamento diferente das outras folhosas.

Para cultivo em vasos, os conhecimentos ainda mais escassos, mas você deve estar ciente de que o sistema radicular das plantas não pode estar limitado e que o espaçamento entre plantas e a oferta de luz e nutrientes não podem ser esquecidos. O cultivo em vasos é ideal para pequenos espaços como interiores, sacadas e varandas, sendo geralmente empregado para o plantio de temperos e outras pequenas plantas, mas pode ser usado para o cultivo de plantas de maior porte, desde que em vasos maiores. Para alfaces, por exemplo, indica-se o uso de vasos com pelo menos 25cm de altura.

Cada planta possui uma forma e um volume de raízes. Costuma-se dizer que uma planta ocupa o mesmo volume em raízes que ela ocupa em folhas e caule, mas claro que há exceções. Além disso, cada planta possui a capacidade de explorar o solo e absorver os nutrientes de modo diferente, sendo algumas mais exigentes e outras mais rústicas. Esta noção é importante quando pensamos em juntar plantas diferentes num mesmo vaso, como no caso de hortas verticais. Com capacidades diferentes de absorção de água e nutrientes, as plantas podem se tornar verdadeiras competidoras ou amigas dentro vaso, e o mesmo vale para as plantas plantadas no solo, mas não com a mesma gravidade. Plantas extremamente exigentes devem ser plantadas sozinhas, como as Pimentas e a sálvia.

Com estes conceitos em mente e com os dedos um pouco mais “verdes”, você já pode ter idéia do desafio que é fazer uma horta caseira, mas também o quão enriquecedor é, seja para passar algumas horas se divertindo ou relaxando, ou para colher alguns bons frutos do seu próprio trabalho. Tente, experimente, aprenda com a mão na massa. A equipe da Ópera Garden está disposição para ajudá-lo com a sua horta, com produtos de qualidade e uma equipe experiente.

14 de julho de 2017|Novidades|

Deixar Um Comentário